URGENTE: Morre paciente em São Rafael por falta de UTI; Esperou 4 dias por uma vaga

URGENTE: Morre paciente em São Rafael por falta de UTI; Esperou 4 dias por uma vaga

Um paciente da cidade de São Rafael-RN, esperou 4 dias por uma vaga de UTI e infelizmente não resistiu.

Asclepíades Jales de Macedo, de 80 anos, esperou desde domingo (17), para ser transferido para uma unidade de terapia intensiva – UTI; 4 dias esperando por uma vaga.

O paciente apresentava problemas grave de insuficiência respiratória. A equipe médica local, do Hospital e Maternidade Dr. Antônio Ferreira Sobrinho, prestou todos os atendimentos cabível na unidade, inclusive o paciente fez um exame (teste rápido) da covid-19, dando negativo, repetiu o exame tipo RT-PCR, que é coletado o material e encaminhado para LACEN ema Natal, este exame ainda aguarda resultado, se o paciente estava ou não com o coronavírus. Até então, o óbito deve ser tratado como um caso suspeito da doença.

Vídeo da Internet

Após o caso repercutir em vários veículos de comunicação, mandaram a SAMU fazer a transferência do paciente para um leito de UTI liberado em Caicó-RN. Em uma entrevista no Jornal do meio dia, na Radio Nossa FM, emissora da cidade, na quarta feira (20), o prefeito fez um desabafo.

Segundo o Prefeito, houve a demora devido a burocracia que tem no protocolo de atendimento da Saúde no RN, que a SAMU só poderia vim fazer a transferência do paciente se fosse para Mossoró-RN, onde o município de São Rafael é vinculado, porém, não existia vaga de UTI e a única vaga que surgia era em Caicó-RN, mas por essa burocracia na regulação de paciente, não estava conseguindo que a SAMU viesse e transferisse o paciente.

Quero compartilhar com a população de São Rafael, diante da grande audiência da Nossa FM, minha preocupação. Estamos com um idoso, internado no Hospital já alguns dias, esperando uma vaga de UTI em Mossoró, mas infelizmente as UTIs estão todas lotadas. O hospital ao qual o município de São Rafael é vinculado não tem vaga. Foi conseguida uma vaga de UTI, (com ajuda de muitas pessoas) na cidade de Caicó-RN. Por um protocolo burocrático do Governo do Estado do Rio Grande do Norte e da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte, esse idoso ainda não foi transferido, por que a SAMU só vem fazer a transferência desse idoso se for a Mossoró. E Mossoró não tem vagas de UTI. Hoje cedo, após falar com a família e com Luana (Secretária Municipal de Saúde) entrei em contato com Deputado George Soares, que é líder do Governo e disse a ele que essa burocracia do Estado poderia custar vidas. E manifestei a ele minha indignação e que transmitisse ao Secretário e a Governadora; não só a minha, mas de todos os Prefeitos do Estado do Rio Grande do Norte, que esse modelo de Regulação de Pacientes para os hospitais regionais num momento iria da problema“. Disse, Reno Marinho.

Na entrevista, o Prefeito Reno Marinho ainda relatou que iria reclamar nas redes sociais, tanto na da Governadora, como na do Secretário de Saúde do Estado.

Apos toda essa repercussão nos meios de comunicação do RN, inclusive em Jornais a nível nacional, o Governo do Rio Grande do Norte disse que o seu Asclepíades, seria transferido ainda nesta quarta feira (20). A SAMU chegou, porém o paciente veio a óbito no momento do preparo para transferência para UTI no hospital de Caicó-RN.

Após o anuncio do óbito, o Prefeito Reno Marinho, lamenta a morte do paciente e a demora no atendimento pela SAMU. A Secretária de Saúde, Luana Carvalho também solidariza com a família e disse “Fizemos tudo o que estava ao alcance”.

O Ex-Prefeiro José de Arimatéia Bráz, também se solidarizou com falecimento de seu Asclepíades.

Acabo de saber do falecimento do amigo Asclepíades. Quero externar meus sinceros sentimentos à toda sua família! Neste momento de dor, não há nenhuma palavra que possa ser dita que seja capaz de confortar os nossos corações. Tudo parece perder o sentido e ficar pequeno diante de tamanho sofrimento. Mas, com o tempo, a dor se transformará em saudade, cheias de lembranças boas do nosso querido amigo. Deixo, então, meu pesar e um abraço afetuoso aos familiares.

Este caso é parecido com o da cidade de Ipanguaçu, A equipe de plantão solicitou uma vaga para remoção da paciente, na qual recebeu a resposta através do sistema de regulação do Estado que não havia nenhum leito disponível. Após a paciente ficar mais de 24 horas na lista de espera por um leito, veio a óbito. O caso ocorreu em 2 de Maio de 2020. Relembre o caso

COMPARTILHE ESSA MATÉRIA COM ALGUÉM:
  • 1.9K
  •  
  •  
  •  

Jarlino Alves

Redator e Jornalista WhatsApp: 84 9 8730-7879

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *